sábado, 13 de maio de 2017

Como fazer a Consagração


Ao fim destas três semanas, confessar-se-ão e comungarão na intenção de se darem
a Jesus Cristo na condição de escravos por amor, pelas mãos de Maria. E depois da
comunhão, recitarão a fórmula de consagração, que será necessário que a escrevam ou
mandem escrever, se não estiver impressa, e a assinem no mesmo dia em que a fizerem.

Nesse dia, será bom renderem algum tributo a Jesus Cristo e a sua Mãe Santíssima,
seja em penitência de sua infidelidade passada às promessas do batismo, seja em sinal de
sua dependência do domínio de Jesus e de Maria. Ora, esse tributo será conforme a
devoção e capacidade de cada um: um jejum, uma mortificação, uma esmola, um círio.
Ainda que não dêem mais que um alfinete em homenagem, contanto que o dêem de bom
coração, é o bastante para Jesus, que só olha a boa vontade.

Todos os anos, ao menos, no mesmo dia, renovarão a consagração, observando as
mesmas práticas durante três semanas. (Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima
Virgem, 231-233)


CONSAGRAÇÃO DE SI MESMO A JESUS CRISTO, SABEDORIA ENCARNADA,
POR MEIO DE MARIA

Ó Sabedoria Eterna e Encarnada! Ó amabilíssimo e adorável Jesus, verdadeiro Deus e
verdadeiro homem, unigênito Filho do Eterno Pai e da sempre Virgem Maria, adoro-vos
profundamente no seio e nos esplendores do vosso Pai, durante a eternidade, e no seio
virginal de Maria, vossa Mãe digníssima, no tempo de vossa Encarnação.

Eu vos dou graças por vos terdes aniquilado a vós mesmo, tomando a forma de
escravo, para livrar-me do cruel cativeiro do demônio. Eu vos louvo e glorifico por vos
terdes querido submeter a Maria, vossa Mãe Santíssima, em todas as coisas, a fim de por
Ela tornar-me vosso fiel escravo.

Mas, ai de mim, criatura ingrata e infiel! Não cumpri as promessas que vos fiz
solenemente no Batismo. Não cumpri com minhas obrigações; não mereço ser chamado
vosso filho nem vosso escravo, e, como nada há em mim que de vós não tenha merecido
repulsa e cólera, já não ouso aproximar-me por mim mesmo de vossa santíssima e
augustíssima Majestade.

É por esta razão que recorro à intercessão de vossa Mãe Santíssima, que me deste por
Medianeira junto a Vós, e é por este meio que espero obter de Vós a contrição e o perdão
de meus pecados, a aquisição e conservação da Sabedoria.

Ave, pois, ó Maria Imaculada, Tabernáculo vivo da Divindade, onde a Eterna
Sabedoria escondida quer ser adorada pelos anjos e pelos homens!

Ave, ó Rainha do céu e da terra, a cujo império está sujeito tudo o que está abaixo de
Deus!

Ave, ó refúgio seguro dos pecadores, cuja misericórdia jamais a ninguém falece!

Atendei ao desejo que tenho da Divina Sabedoria, e recebei, para este fim, os votos e as
oferendas, apresentadas pela minha baixeza.
Eu, (diga seu nome completo), infiel pecador, renovo e ratifico hoje, em vossas mãos, os votos do Batismo.

Renuncio para sempre a Satanás, suas pompas e suas obras, e dou-me inteiramente a
Jesus Cristo, Sabedoria Encarnada, para segui-lo levando minha cruz, em todos os dias de
minha vida. E, a fim de lhe ser mais fiel do que até agora tenho sido, escolho-vos neste dia,
ó Maria Santíssima, em presença de toda a corte celeste, para minha Mãe e minha
Senhora.

Entrego-vos e consagro-vos, na qualidade de escravo, meu corpo e minha alma, meus
bens interiores e exteriores, e até o valor de minhas boas obras passadas, presentes e
futuras, deixando-Vos direito pleno e inteiro de dispor de mim e de tudo o que me
pertence, sem exceção, a vosso gosto, para a maior glória de Deus, no tempo e na
eternidade.

Recebei, ó benigníssima Virgem, esta pequena oferenda de minha escravidão, em
união e honra à submissão que a Sabedoria Eterna quis ter à vossa Maternidade; em
homenagem ao poder que tendes ambos sobre este vermezinho e miserável pecador; em
ação de graças pelos privilégios com que Vos favoreceu a Santíssima Trindade.

Protesto que quero, de agora em diante, como vosso verdadeiro escravo, procurar
vossa honra e obedecer-Vos em todas as coisas.

Ó Mãe admirável, apresentai-me a vosso amado Filho, na qualidade de escravo
perpétuo, para que, tendo-me remido por Vós, por Vós também me receba favoravelmente.

Ó Mãe de misericórdia, concedei-me a graça de obter a verdadeira Sabedoria de Deus,
e de colocar-me, para este fim, no número daqueles a quem amais, ensinais, guiais,
sustentais e protegeis como a filhos e escravos vossos.

Ó Virgem fiel, tornai-me em todos os pontos um tão perfeito discípulo, imitador e
escravo da Sabedora Encarnada, Jesus Cristo, vosso Filho, que eu chegue um dia, por vossa
intercessão e a vosso exemplo à plenitude de sua idade na terra e de sua glória nos céus.

Assim seja. Amém.


Nenhum comentário:

Postar um comentário