sábado, 4 de novembro de 2017

3ª Campanha para consagração à Nossa Senhora Imaculada Conceição



Irmãos, amanhã começaremos uma nova campanha de Consagração à Jesus Cristo pelas mãos da Virgem Maria segundo o método de São Luis Maria de Montfort.

A consagração ocorrerá no dia 8 de Dezembro, dia da Imaculada Conceição. Você pode receber as notificações diárias das orações de cada dia e um trecho do livro para leitura dia a dia no nosso grupo no Telegram. Para fazer parte do grupo, fazer as orações e leturas diárias do livro em preparação para a consagração é só entrar no nosso grupo pelo link abaixo:


Esse link será desabilitado na segunda-feira.



Não perca tempo. Entre logo e divulgue!

Salve Maria!

sexta-feira, 9 de junho de 2017

2ª Campanha do ano para Consagração/Renovação em 16 de Julho




Caros irmãos, vamos começar mais uma campanha para consagração à Jesus Cristo pelas mãos de Maria segundo o método de São Luis Maria de Montfort descritos no “Tratado à Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem".

Vamos nos preparar para o dia de Nossa Senhora do Carmo, dia 16 de Julho próximo. Para isso começaremos as orações no dia 13 de Junho, dia de Santo Antônio.

Convide as pessoas interessadas para se unirem e assim formarmos mais um grupo de oração e estudo online. Nossa agenda das orações preparatórias à consagração está abaixo:

12 dias preliminares = 13 a 24 de junho
1ª Semana = 25 de Junho a 1º de julho
2ª Semana = 02 a 8 de julho
3ª Semana = 9 a 15 de julho
Dia da Consagração = 16 de julho, dia de Nossa Senhora do Carmo.
#ag_or

Além das orações diárias vamos propor leituras diárias do tratado para quem desejar ler ou reler para a Consagração. Quem não leu o tratado ainda é obrigatório a leitura/estudo do mesmo antes de se consagrar. Para quem já leu a releitura é optativa. Você pode acessar as postagens no blog http://consagrando.blogspot.com.br, mas recomendamos acompanhar através da nossa ferramenta no Telegram: Temos um grupo no Telegram para incentivo mútuo e troca de dúvidas onde todos os dias será publicado o link para as orações do dia e as leituras.

O link para entrada no grupo é: https://t.me/joinchat/AAAAAD95iiYHA-UdVUOoaQ. Lembrando que vamos desabilitar esse link no dia 14 de junho e ninguém poderá entrar mais no grupo, pois já terá se passado o dia para início das orações preparatórias para a consagração. A partir disso só poderá entrar por indicação.

Também é essencial escutar/assistir as 4 aulas do Curso “Consagra-te” do Padre Paulo Ricardo. O curso está disponível a todos no site do Padre Paulo Ricardo e disponibilizaremos todos os arquivos também lá no grupo no Telegram.

Divulgue essa postagem e link nas redes sociais para que as pessoas interessadas na Consagração possam aderir. Deus lhe abençoe!
Salve Maria, Virgem Fiel!

sábado, 13 de maio de 2017

Como fazer a Consagração


Ao fim destas três semanas, confessar-se-ão e comungarão na intenção de se darem
a Jesus Cristo na condição de escravos por amor, pelas mãos de Maria. E depois da
comunhão, recitarão a fórmula de consagração, que será necessário que a escrevam ou
mandem escrever, se não estiver impressa, e a assinem no mesmo dia em que a fizerem.

Nesse dia, será bom renderem algum tributo a Jesus Cristo e a sua Mãe Santíssima,
seja em penitência de sua infidelidade passada às promessas do batismo, seja em sinal de
sua dependência do domínio de Jesus e de Maria. Ora, esse tributo será conforme a
devoção e capacidade de cada um: um jejum, uma mortificação, uma esmola, um círio.
Ainda que não dêem mais que um alfinete em homenagem, contanto que o dêem de bom
coração, é o bastante para Jesus, que só olha a boa vontade.

Todos os anos, ao menos, no mesmo dia, renovarão a consagração, observando as
mesmas práticas durante três semanas. (Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima
Virgem, 231-233)


CONSAGRAÇÃO DE SI MESMO A JESUS CRISTO, SABEDORIA ENCARNADA,
POR MEIO DE MARIA

Ó Sabedoria Eterna e Encarnada! Ó amabilíssimo e adorável Jesus, verdadeiro Deus e
verdadeiro homem, unigênito Filho do Eterno Pai e da sempre Virgem Maria, adoro-vos
profundamente no seio e nos esplendores do vosso Pai, durante a eternidade, e no seio
virginal de Maria, vossa Mãe digníssima, no tempo de vossa Encarnação.

Eu vos dou graças por vos terdes aniquilado a vós mesmo, tomando a forma de
escravo, para livrar-me do cruel cativeiro do demônio. Eu vos louvo e glorifico por vos
terdes querido submeter a Maria, vossa Mãe Santíssima, em todas as coisas, a fim de por
Ela tornar-me vosso fiel escravo.

Mas, ai de mim, criatura ingrata e infiel! Não cumpri as promessas que vos fiz
solenemente no Batismo. Não cumpri com minhas obrigações; não mereço ser chamado
vosso filho nem vosso escravo, e, como nada há em mim que de vós não tenha merecido
repulsa e cólera, já não ouso aproximar-me por mim mesmo de vossa santíssima e
augustíssima Majestade.

É por esta razão que recorro à intercessão de vossa Mãe Santíssima, que me deste por
Medianeira junto a Vós, e é por este meio que espero obter de Vós a contrição e o perdão
de meus pecados, a aquisição e conservação da Sabedoria.

Ave, pois, ó Maria Imaculada, Tabernáculo vivo da Divindade, onde a Eterna
Sabedoria escondida quer ser adorada pelos anjos e pelos homens!

Ave, ó Rainha do céu e da terra, a cujo império está sujeito tudo o que está abaixo de
Deus!

Ave, ó refúgio seguro dos pecadores, cuja misericórdia jamais a ninguém falece!

Atendei ao desejo que tenho da Divina Sabedoria, e recebei, para este fim, os votos e as
oferendas, apresentadas pela minha baixeza.
Eu, (diga seu nome completo), infiel pecador, renovo e ratifico hoje, em vossas mãos, os votos do Batismo.

Renuncio para sempre a Satanás, suas pompas e suas obras, e dou-me inteiramente a
Jesus Cristo, Sabedoria Encarnada, para segui-lo levando minha cruz, em todos os dias de
minha vida. E, a fim de lhe ser mais fiel do que até agora tenho sido, escolho-vos neste dia,
ó Maria Santíssima, em presença de toda a corte celeste, para minha Mãe e minha
Senhora.

Entrego-vos e consagro-vos, na qualidade de escravo, meu corpo e minha alma, meus
bens interiores e exteriores, e até o valor de minhas boas obras passadas, presentes e
futuras, deixando-Vos direito pleno e inteiro de dispor de mim e de tudo o que me
pertence, sem exceção, a vosso gosto, para a maior glória de Deus, no tempo e na
eternidade.

Recebei, ó benigníssima Virgem, esta pequena oferenda de minha escravidão, em
união e honra à submissão que a Sabedoria Eterna quis ter à vossa Maternidade; em
homenagem ao poder que tendes ambos sobre este vermezinho e miserável pecador; em
ação de graças pelos privilégios com que Vos favoreceu a Santíssima Trindade.

Protesto que quero, de agora em diante, como vosso verdadeiro escravo, procurar
vossa honra e obedecer-Vos em todas as coisas.

Ó Mãe admirável, apresentai-me a vosso amado Filho, na qualidade de escravo
perpétuo, para que, tendo-me remido por Vós, por Vós também me receba favoravelmente.

Ó Mãe de misericórdia, concedei-me a graça de obter a verdadeira Sabedoria de Deus,
e de colocar-me, para este fim, no número daqueles a quem amais, ensinais, guiais,
sustentais e protegeis como a filhos e escravos vossos.

Ó Virgem fiel, tornai-me em todos os pontos um tão perfeito discípulo, imitador e
escravo da Sabedora Encarnada, Jesus Cristo, vosso Filho, que eu chegue um dia, por vossa
intercessão e a vosso exemplo à plenitude de sua idade na terra e de sua glória nos céus.

Assim seja. Amém.


sexta-feira, 12 de maio de 2017

Tratado - Dia #33L - 3ª Semana


SUPLEMENTO A 

MODO DE PRATICAR ESTA DEVOÇÃO NA SAGRADA COMUNHÃO 

Antes da Comunhão 

266. 1º. Humilhar-te-ás profundamente diante de Deus;

2º. Renunciarás ao teu fundo todo corrompido e às tuas
disposições, embora o teu amor próprio as faça parecer boas;

3º. Renovarás a tua consagração dizendo: “Todo Vosso
sou, ó querida Mãe, e tudo o que tenho é Vosso!” (Tuus totus
ego sum, et omnia mea tua sunt!);

4º. Suplicarás a esta boa Mãe que te empreste o seu
Coração, para n'Ele receberes seu Filho com as disposições
d'Ela. Dir-lhe-ás que a glória de seu Filho exige que não seja
recebido num coração tão manchado como o teu e tão inconstante,
que não tardará a privá-lo da sua glória ou a perdê-lo.

Mas, se Ela quiser vir habitar no teu coração para receber seu
Filho, poderá fazê-lo pelo domínio que tem sobre os corações.

E seu Filho será assim bem recebido, sem mancha nem
perigo de ser ultrajado ou perdido. “Deus não sofrerá nada
dentro d'Ela” (Sl 45, 6). Dir-lhe-ás confiadamente que tudo o
que lhe ofereceste dos teus bens é bem pouca coisa para honrá-la,
mas que desejas dar-lhe, pela Santa Comunhão, o mesmo
presente que o Pai Eterno lhe deu, e que, deste modo, Ela será
mais honrada do que se lhe oferecesses todos os bens do mundo.

Finalmente podes dizer-lhe que Jesus a ama muito particularmente,
e que ainda quer ter n'Ela as suas complacências
e o seu repouso, mesmo que agora seja na tua alma, mais suja
e pobre que o estábulo, onde Jesus não pôs dificuldades em
vir, porque Ela lá se encontrava. Pedir-lhe-ás o seu Coração
com estas ternas palavras: Tomo-Vos como toda a minha riqueza.

Dai-me o Vosso Coração, ó Maria! 

Durante a Comunhão 

267. Quando estiveres para receber Jesus Cristo, depois do
“Pai-Nosso”, dirás três vezes: “Senhor, eu não sou digno de
que entreis em minha morada, mas dizei uma só palavra e
serei salvo!”

A primeira vez será para dizer ao Pai Eterno que não és
digno de receber seu Filho Unigênito, por causa dos teus maus
pensamentos e ingratidões para com um Pai tão bom. Mas eis
que Maria, a Serva do Senhor, está contigo, representa-te e
dá-te uma confiança e esperança singulares junto da Divina
Majestade. “Porque me deste uma esperança singular” (Sl 4,10).

268. A segunda vez dirás ao Filho: “Senhor, eu não sou digno...”
Dir-lhe-ás que não és digno de recebê-lo por causa das
tuas inúteis e más palavras, por causa da tua infidelidade ao
seu serviço. Entretanto, suplica-lhe que tenha piedade de ti,
porque o introduzirás na casa da sua própria Mãe e tua. Diz-lhe
que não o deixarás partir sem que venha morar em casa d'Ela:

“Detive-o e não o deixarei até o introduzir na casa de minha
Mãe e no quarto daquela que me gerou” (Ct 3, 4). Pedir-lheás
que se erga e venha descansar no lugar do seu repouso, na
arca da sua santificação: “Levantai-Vos, Senhor, entrai no
Vosso repouso, tu e a arca da tua santidade” (Sl 131, 8). Dir-lhe-ás que não pões nenhuma confiança nos teus méritos, nas
tuas forças e preparação, como Esaú, mas nas mãos de Maria,
tua querida Mãe, como o jovem Jacó nos cuidados de Rebeca.

Embora pecador e Esaú que és, ousas aproximar-te da sua
santidade apoiado e revestido dos méritos e virtudes de sua
Santa Mãe.

269. A terceira vez dirás ao Espírito Santo: “Senhor, eu não
sou digno...” Dir-lhe-ás que não és digno de receber a obra prima
da sua caridade, por causa da tibieza e iniqüidade das
tuas ações e das tuas resistências às suas inspirações, mas que
toda a tua confiança está em Maria, sua Fiel Esposa. E dirás
com São Bernardo: “Ela é a minha grande confiança, é toda
a razão da minha esperança!” Podes mesmo rogar-lhe que
venha mais uma vez a Maria, sua esposa inseparável; que seu
seio é tão puro e seu Coração tão abrasado como sempre; e
que sem que Ele desça à tua alma, Jesus e Maria nela não
poderão ser nem bem formados, nem bem alojados.

Depois da Comunhão 

270. Depois da Santa Comunhão, estando interiormente recolhido,
com os olhos fechados, introduzirás Jesus Cristo no
Coração de Maria. Tu O darás à sua Mãe, que O receberás
amorosamente, O instalará honorificamente, O adorará profundamente,
O amará perfeitamente, O abraçará com amor e
Lhe tributará, em espírito e verdade, várias homenagens que
nos são desconhecidas, a nós, envoltos nessas densas trevas.

271. Ou então, conservar-te-ás profundamente humilhado
no teu coração, na presença de Jesus residindo em Maria. Ou
conservar-te-ás como um escravo à porta do palácio do Rei,
onde Ele está a falar com a Rainha. E, enquanto Eles falam,
sem precisar de ti, irás em espírito ao Céu e pela Terra inteira
pedir a todas as criaturas que agradeçam, adorem e amem
Jesus em Maria, por ti. “Vinde, adoremos, vinde!” (Sl 94, 6).

272. Ou então tu mesmo pedirás a Jesus, em união com Maria,
a vinda do seu Reino sobre a Terra, por intermédio de sua
Santa Mãe. Ou pedirás a Sabedoria Divina, ou o Amor Divino
ou o perdão dos teus pecados, ou qualquer outra graça,
mas sempre por Maria e em Maria. Então dirás, considerando-te com desconfiança: Senhor, não olheis para os meus
pecados, mas que os Vossos olhos só vejam em mim as virtudes
e os méritos de Maria. E, recordando-te dos teus pecados,
acrescenta: “Foi o inimigo que fez isto!” (Mt 13, 28). Eu
mesmo sou o maior inimigo com que tenho de lutar; fui eu
que fiz estes pecados. Ou então: “Livrai-me, Senhor, do homem
iníquo e doloso!” (Sl 42, 1). “Meu Jesus, é necessário
que cresçais na minha alma e que eu diminua!” (Jo 3, 30). Ó
Maria, é necessário que cresçais em mim, e que eu seja menor
que nunca! “Crescei e multiplicai-vos” (Gn 1, 28): Ó
Jesus e Maria, crescei em mim, e multiplicai-Vos fora de mim
nos outros.

273. Há uma infinidade de pensamentos que o Espírito Santo
fornece; e te fornecerá, se fores interior, mortificado e fiel a
esta Grande e Sublime Devoção que acabo de te ensinar. Mas
recorda-te de que quanto mais deixares agir Maria na tua Comunhão,
mais Jesus será glorificado. E deixarás agir tanto
mais Maria por Jesus e Jesus em Maria, quanto mais profundamente
te humilhares e os escutares em paz e silêncio, sem
procurar ver, gostar ou sentir. Pois o justo vive, em tudo, da
Fé, e particularmente na Sagrada Comunhão, que é um ato de
fé: “O meu justo viverá da Fé!” (Hb 10, 38).


Orações - Dia #33o - 3ª Semana


3ª Semana
33º dia


Ladainha do Espírito Santo

Senhor, tende piedade de nós.
Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.

Jesus Cristo, ouvi-nos!
Jesus Cristo, atendei-nos!

Deus Pai dos céus, tende piedade de nós.
Deus Filho, redentor do mundo tende piedade de nós.
Deus Espírito Santo, tende piedade de nós.
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós.

Espírito Santo, que procedeis do Pai e do Filho, iluminai-nos e santificai-nos
Espírito do Senhor, que no início da Criação, planando sobre as águas as fecundaste, vinde
a nós.
Espírito por cuja inspiração falaram os profetas, vinde a nós.
Espírito cuja unção nos ensina todas as coisas, vinde a nós.
Espírito que dais testemunho de Cristo, vinde a nós.
Espírito de verdade que nos instruís sobre todas as coisas, vinde a nós.
Espírito que cobre Maria, vinde a nós.
Espírito do Senhor que encheis todo o universo, vinde a nós.
Espírito de Deus que habita em nós, vinde a nós.
Espírito de sabedoria e inteligência, vinde a nós.
Espírito de conselho e fortaleza, vinde a nós.
Espírito de ciência e piedade, vinde a nós.
Espírito de temor do Senhor, vinde a nós.
Espírito de graça e misericórdia, vinde a nós.
Espírito de força, afeição e sobriedade, vinde a nós.
Espírito de fé, esperança, amor e paz, vinde a nós.
Espírito de humildade e castidade, vinde a nós.
Espírito de benignidade e mansidão, vinde a nós.
Espírito de multiforme graça, vinde a nós.
Espírito que perscrutais os segredos de Deus, vinde a nós.
Espírito que rogais por nós com gemidos inefáveis, vinde a nós.
Espírito que descestes sobre Cristo em forma de pomba, vinde a nós.
Espírito no qual renascemos, vinde a nós.
Espírito pelo qual se difunde a caridade em nossos corações, vinde a nós.
Espírito de adoção de filhos de Deus, vinde a nós.
Espírito que aparecestes em línguas de fogo sobre os apóstolos, vinde a nós.
Espírito do qual os apóstolos foram repletos, vinde a nós.
Espírito que distribuís vossos dons a cada um como quereis, vinde a nós.

Sede-nos propício, perdoai-nos, Senhor.
Sede-nos propício, ouvi-nos, Senhor.

De todo mal, livrai-nos, Senhor.
De todo o pecado, livrai-nos, Senhor. De todas as tentações e ciladas do demônio, livrainos,
Senhor.
De toda a presunção e desesperação, livrai-nos, Senhor.
Do ataque à verdade conhecida, livrai-nos, Senhor.
Da inveja da graça fraterna, livrai-nos, Senhor.
De toda a obstinação e impenitência, livrai-nos, Senhor.
De toda a negligência e tepidez do espírito, livrai-nos, Senhor.
De toda a impureza da mente e do corpo, livrai-nos, Senhor.
De todas as heresias e erros, livrai-nos, Senhor.
De todo o mau espírito, livrai-nos, Senhor.
Da morte má e eterna, livrai-nos, Senhor.

Pela vossa eterna procedência do Pai e do Filho, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Pela milagrosa conceição do Filho de Deus, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Pela vossa descida sobre Jesus Cristo batizado, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Pela vossa santa aparição na transfiguração do Senhor, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Pela vossa vinda sobre os discípulos do Senhor, nós vos rogamos, ouvi-nos.
No dia do juízo, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Para que. assim como vivemos do Espírito, atuemos também por Ele, nós vos rogamos,
ouvi-nos.
Para que, recordando que somos templo do Espírito Santo, não o profanemos, nós vos
rogamos, ouvi-nos.
Para que vivendo segundo o Espírito, não satisfaçamos os desejos da carne, nós vos
rogamos, ouvi-nos.
Para que não entristeçamos a vós, Espírito Santo de Deus, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Para que sejamos solícitos em guardar a unidade do Espírito, no vínculo da paz, nós vos
rogamos, ouvi-nos.
Para que não creiamos em qualquer espírito, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Para que provemos os espíritos para saber se são de Deus, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Para que vos digneis renovar em nós o espírito de retidão, nós vos rogamos, ouvi-nos.
Para que nos confirmeis pelo soberano Espírito, nós vos rogamos, ouvi-nos.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós.

OREMOS: Assista-nos, nós vos pedimos, a virtude do Espírito Santo, que clemente
purifique nossos corações, e nos preserve de todo mal. Nós vos pedimos pelo mesmo
Cristo, Nosso Senhor. Amém.


Ave, Estrela do Mar

Ave do mar Estrela,
De Deus Mãe bela,
Sempre Virgem, da morada
Celeste feliz entrada.

Ó tu que ouviste da boca
Do anjo a saudação;
Dá-nos paz e quietação;
E o nome de Eva troca.

As prisões a os réus desata
E a nós, cegos, alumia;
De tudo que nos maltrata
Nos livra, o bem nos granjeia.

Que os rogos do povo seu
Ouça aquele que, nascendo
Por nós, quis ser Filho teu.

Ó Virgem especiosa,
Toda cheia de ternura,
Extintos nossos pecados,

Dá-nos pureza e brandura.
Dá-nos uma vida pura,
Põe-nos em via segura,

Para que a Jesus gozemos,
E sempre nos alegremos.
A Deus Pai veneremos;
A Jesus Cristo também,
E ao Espírito Santo; demos
Aos três louvor. Amém.


Ladainha do Santíssimo Nome de Jesus

Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.

Jesus Cristo ouvi-nos,
Jesus Cristo atendei-nos,

Pai Celeste, que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho Redentor do mundo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós.

Jesus, Filho de Deus vivo, tende piedade de nós.
Jesus, Esplendor do Pai, tende piedade de nós.
Jesus, Pureza da luz eterna, tende piedade de nós.
Jesus, Rei da glória, tende piedade de nós.
Jesus, Sol de justiça, tende piedade de nós.
Jesus, Filho da Virgem Maria, tende piedade de nós.
Jesus, amável, tende piedade de nós.
Jesus, admirável, tende piedade de nós.
Jesus, Deus forte, tende piedade de nós.
Jesus, Pai dos séculos futuros, tende piedade de nós.
Jesus, poderosíssimo, tende piedade de nós.
Jesus, pacientíssimo, tende piedade de nós.
Jesus, obedientíssimo, tende piedade de nós.
Jesus, manso e humilde de Coração, tende piedade de nós.
Jesus, Amante da castidade, tende piedade de nós.
Jesus, repleto de amor por nós, tende piedade de nós.
Jesus, Deus da paz, tende piedade de nós.
Jesus, Autor da vida, tende piedade de nós.
Jesus, Exemplar das virtudes, tende piedade de nós.
Jesus, Zelador das almas, tende piedade de nós.
Jesus, nosso Deus, tende piedade de nós.
Jesus, nosso Refúgio, tende piedade de nós.
Jesus, Pai dos pobres, tende piedade de nós.
Jesus, Tesouro dos fiéis, tende piedade de nós.
Jesus, Bom Pastor, tende piedade de nós.
Jesus, Luz verdadeira, tende piedade de nós.
Jesus, Sabedoria eterna, tende piedade de nós.
Jesus, Bondade infinita, tende piedade de nós.
Jesus, nosso Caminho e nossa Vida, tende piedade de nós.
Jesus, Alegria dos Anjos, tende piedade de nós.
Jesus, Rei dos Patriarcas, tende piedade de nós.
Jesus, Mestre dos Apóstolos, tende piedade de nós.
Jesus, Doutor dos Evangelistas, tende piedade de nós.
Jesus, Fortaleza dos Mártires, tende piedade de nós.
Jesus, Luz dos Confessores, tende piedade de nós.
Jesus, Pureza das Virgens, tende piedade de nós.
Jesus, Coroa de todos os santos, tende piedade de nós.

Sede-nos propício, perdoai-nos, Jesus.
Sede-nos propício, ouvi-nos, Jesus.

De todo o mal, livrai-nos, Jesus.
De todo o pecado, livrai-nos, Jesus.
Das ciladas do demônio, livrai-nos, Jesus.
Do espírito de impureza, livrai-nos, Jesus.
Da morte eterna, livrai-nos, Jesus.
Do desprezo das vossas inspirações, livrai-nos, Jesus.
Pelo mistério da vossa Santa Encarnação, livrai-nos, Jesus.
Pelo vosso Nascimento, livrai-nos, Jesus.
Pela vossa Infância, livrai-nos, Jesus.
Pela vossa Vida Divina, livrai-nos, Jesus.
Pelos vossos trabalhos, livrai-nos, Jesus.
Pela vossa agonia e paixão, livrai-nos, Jesus.
Pela vossa cruz e abandono, livrai-nos, Jesus.
Pelas vossas angústias, livrai-nos, Jesus.
Pela vossa Morte e sepultura, livrai-nos, Jesus.
Pela vossa Ressurreição, livrai-nos, Jesus.
Pela vossa Ascensão, livrai-nos, Jesus.
Pela instituição da Santíssima Eucaristia, livrai-nos, Jesus.
Pela vossas alegrias, livrai-nos, Jesus.
Pela vossa glória, livrai-nos, Jesus.

Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos, Senhor,
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.

- Bendito seja o Nome do Senhor.
- Agora e para sempre.

Oremos: Deus de bondade e misericórdia, concedei-nos a graça de venerar dignamente,
neste tempo de preparação para o Santo Natal, o Mistério da Encarnação do vosso amado
Filho, nosso Senhor Jesus Cristo, a cujo nome santíssimo quisestes que se dobre todo o
joelho na terra, nos céus e nos abismos e nele todos os homens se salvem. Ele que é Deus
convosco na unidade do Espírito Santo.
Amém.


Oração a Jesus
(de São Luís Montfort)

Meu amável Jesus, permiti que me dirija a vós para testemunhar o meu reconhecimento
pela graça que me concedestes, dando-me a vossa santa Mãe pela devoção da escravidão,
para ser minha advogada junto de vossa Majestade, e meu suplemento universal em minha
grandíssima miséria.

Ai de mim! Senhor, sou tão miserável, que sem esta boa Mãe estaria irremediavelmente
perdido. Sim. Maria me é necessário junto de vós, em toda parte: necessária para vos
aplacar em vossa justa cólera, pois vos tenho ofendido todos os dias; necessária, para
sustar os castigos eternos de vossa justiça, que mereço; necessária para contemplar-vos,
falar-vos, rogar-vos, aproximar-me de vós e vos agradar; necessária para salvar minha
alma e a dos outros; necessária, em uma palavra, para fazer sempre a vossa vontade e
procurar em tudo a vossa maior glória.

Ah! quem me dera publicar por todo o universo esta misericórdia que tivestes para comigo!
E que todo o mundo soubesse que sem Maria já estaria condenado! Pudesse eu render-vos
dignas ações de graças por tão grande benefício! Maria está em mim, haec facta est mihi,
Oh! Que tesouro! Que consolo! E eu não seria, depois disso, todo dela? Que ingratidão,
meu Salvador amado! Enviai-me a morte antes que me aconteça tal desgraça: pois prefiro
morrer que viver sem ser todo de Maria.

Mil e mil vezes tomei-a, com S.João Evangelista ao pé da cruz, por todo o meu bem! e
outras tantas vezes dei-me a Ela; mas se até agora não o fiz bem, conforme desejos, ó Jesus
amado, faço-o agora como quereis que o faça, e se vedes em minha alma e em meu corpo
algo que não pertença a essa augusta Princesa eu vos rogo que o arranqueis e o jogueis
para longe de mim, pois que o que não é de Maria não é digno de vós.

Ó Espírito Santo! concedei-me todas essas graças e plantai, regai e cultivai em minha alma
a amável Maria, que a Arvore da vida verdadeira, a fim de que cresça, floresça e suscite
frutos de vida com abundância.Ó Espírito Santo! dai-me uma grande devoção e uma
grande inclinação para com vossa divina Esposa, um grande apoio sobre seu seio maternal
e recurso contínuo à sua misericórdia, a fim de que nela formeis em mim a Jesus Cristo,
grande e poderoso, até à plenitude de sua idade perfeita. Assim seja.


Ó Jesus, que viveis em Maria

Ó Jesus, que viveis em Maria, vinde viver em vossos servos, no espírito de vossa santidade;
na plenitude de vossa força, na perfeição de vossos caminhos, na verdade de vossas
virtudes, na comunhão de vossos mistérios, dominais sobre todo o poder inimigo, em
vosso Espírito e para a glória do Pai. Amém.

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Tratado - Dia #32L - 3ª Semana


VI. O Magnificat 

255. Sexta Prática. Para agradecer a Deus as graças que
concedeu à Santíssima Virgem, as almas escolhidas dirão
muitas vezes o Magnificat, a exemplo da Bem-aventurada
Maria de Doignies e de vários outros santos. É a única oração
e a única composição da Santíssima Virgem, ou, antes, que
Jesus compôs n'Ela, pois Ele falava pela sua boca. Este é o
maior sacrifício de louvor que Deus recebeu na lei da graça.

Por um lado, é o mais humilde e reconhecido, por outro, o
mais sublime e elevado de todos os cânticos. Há nele mistérios
tão grandes e escondidos que os anjos os ignoram.

Gerson, doutor muito piedoso e sábio, gastou uma parte
da vida a compor tratados, plenos de erudição e piedade,
sobre os mais difíceis temas. Mas foi só depois, no fim da
vida, que empreendeu, a tremer, a explicação do Magnificat,
para assim coroar todas as suas obras. Diz-nos, num volume
in-fólio, que sobre ele compôs, coisas admiráveis do belo e divino
cântico. Entre outras coisas, ele diz que a própria Santíssima
Virgem o recitava muitas vezes, particularmente depois da Sagrada Comunhão, em ação de graças.
O erudito Benzônio, explicando também o Magnificat,
conta muitos milagres operados pela sua virtude. Diz que os
demônios tremem e se põem em fuga quando ouvem as palavras:
“Manifestou o poder do seu braço e confundiu os soberbos
nos pensamentos de seus corações” (Lc 1, 51).

VII. O desprezo do mundo 

256. Sétima prática. Os fiéis servidores de Maria devem desprezar,
odiar e fugir muito do mundo corrupto, e servir-se das
práticas de desprezo do mundo, que indicamos na primeira parte.

Artigo Segundo 

Práticas particulares e interiores para os que desejam vir a ser perfeitos 

257. As práticas exteriores desta Devoção, que acabo de referir,
não devem omitir-se por negligência ou desprezo, na
proporção em que o estado e a condição de cada um o permitem.

Mas além destas práticas exteriores há ainda práticas
interiores, muito santificantes para aqueles que o Espírito Santo
chama a uma alta perfeição. Consistem, numa palavra, em
fazer todas as ações por Maria, com Maria, em Maria e para
Maria, a fim de mais perfeitamente as fazer por Jesus Cristo,
com Jesus Cristo, em Jesus e para Jesus.

I. Fazer tudo por Maria 

258. É necessário fazer todas as ações por meio de Maria, o
que equivale a dizer que devemos obedecer em tudo à
Santíssima Virgem, e conduzir-nos em tudo pelo seu espírito,
que é o Espírito Santo de Deus. “Aqueles que são conduzidos
pelo Espírito de Deus, são filhos de Deus” (Rm 8, 14). Aqueles
que são conduzidos pelo espírito de Maria são filhos de
Maria e, por conseguinte, filhos de Deus, como já mostramos
(nn. 29-30). E entre tantos devotos da Santíssima Virgem, os
devotos verdadeiros e fiéis são somente aqueles que se deixam
conduzir pelo seu espírito. Eu disse que o espírito de
Maria era o Espírito de Deus, porque Ela nunca se conduziu
pelo seu próprio espírito, mas sempre pelo de Deus, o qual
d'Ela tomou posse, de tal modo, que passou a ser o seu próprio
espírito. É por isso que Santo Ambrósio diz: “Que a alma
de Maria esteja em cada um para glorificar o Senhor; que o
espírito de Maria esteja em cada um para se alegrar em
Deus”.

Como é feliz uma alma quando - a exemplo de um bom
irmão jesuíta, chamado Rodriguez e falecido em odor de santidade
- ela é toda governada e possuída pelo espírito de Maria,
que é um espírito suave e forte, zeloso e prudente, humilde,
corajoso, puro e fecundo!

259. A fim de que uma alma se deixe conduzir por este espírito
de Maria é preciso:

1º. Renunciar ao seu próprio espírito, às suas próprias
luzes e vontades antes de fazer qualquer coisa, por exemplo,
antes de fazer oração, de celebrar ou assistir à Santa Missa,
antes de comungar etc. Porque as trevas do nosso espírito
próprio e a malícia da nossa vontade e obras poriam obstáculo
ao santo espírito de Maria, se as seguíssemos, embora nos
parecessem boas.

2º. Entregar-se ao espírito de Maria para ser movida e
conduzida do modo que Ela quiser. Temos de nos pôr e nos
abandonar nas suas mãos virginais, como um instrumento nas
mãos do artífice, como uma cítara nas mãos dum bom músico.

É preciso perder-se e entregar-se a Ela, como uma pedra
que se atira ao mar, o que se faz tão simplesmente, num instante,
por um olhar do espírito, um pequeno movimento da
vontade, ou verbalmente, dizendo por exemplo: “Renuncio a
mim mesmo e dou-me a Vós, ó minha querida mãe!” E ainda
que não se experimente qualquer doçura sensível neste ato de
união, ele não deixa de ser verdadeiro, assim como se alguém
dissesse, o que Deus não permita: “Dou-me ao demônio”; se
o dissesse com sinceridade, embora sem qualquer mudança
sensível, não seria menos realmente do demônio.

3º. Renovar este mesmo ato de oferecimento e de união,
de tempos a tempos, durante a ação ou depois dela. Quanto
mais o repetir tanto mais depressa a alma se santificará e mais
depressa chegará à união com Jesus Cristo, pois esta segue-se
sempre à união com Maria, visto o espírito de Maria ser o de
Jesus.

II. Fazer tudo com Maria 

260. É necessário fazer todas as ações com Maria. Para isso
devemos pôr os olhos n'Ela, em todas as nossas ações, como
no modelo acabado de toda a virtude e perfeição. É o modelo
formado pelo Espírito Santo numa simples criatura, para nós
o imitarmos, na medida das nossas limitadas forças. É preciso,
portanto, que consideremos, em cada ação, o modo com o
qual Maria a fez ou faria se estivesse no nosso lugar.

Para isso devemos examinar e meditar as grandes virtudes
que Ela praticou durante a vida, particularmente:

1º. A sua Fé viva, pela qual acreditou, sem hesitar, na
palavra do anjo. Acreditou fielmente, constantemente, até o pé
da Cruz, no Calvário;

2º. A sua Humildade profunda, que a fez esconder-se,
calar-se, submeter-se a tudo e pôr-se no último lugar;

3º. A sua Pureza toda divina, que não teve nem jamais
terá igual sob o Céu. Enfim, todas as suas demais virtudes (n.108).

Lembremo-nos, torno a repetir, que Maria é a grande
e a única Fôrma de Deus (nn. 218-221), própria para formar
imagens de Deus, facilmente e em pouco tempo. Uma alma
que achou deveras esta Fôrma e n'Ela se perdeu, em breve se
transformará em Jesus Cristo, que este molde representa ao
natural.

III. Fazer tudo em Maria 

261. É necessário fazer todas as ações em Maria. Para bem
compreender esta prática, é preciso saber que a Santíssima
Virgem é o verdadeiro Paraíso Terrestre do Novo Adão, e que
o antigo paraíso não era mais que a sua imagem. Pois há neste
Paraíso Terrestre riquezas, belezas, raridades e doçuras
inexplicáveis, que o Novo Adão, Jesus Cristo, aí deixou. Neste
paraíso Ele achou as suas delícias durante nove meses, operou
as suas maravilhas e ostentou as suas riquezas com a
magnificência de um Deus. Este Lugar Santo não é composto
senão de uma terra virgem e imaculada, da qual foi formado e
se alimentou o Novo Adão, sem qualquer nódoa ou mancha,
pela operação do Espírito Santo que aí habita. É neste Paraíso
Terrestre que está verdadeiramente a árvore da vida, que produziu
Jesus Cristo, o fruto da vida; a árvore da ciência do
bem e do mal, que deu a luz ao mundo. Há neste lugar divino
árvores plantadas pela mão de Deus e regadas com a sua unção
divina, que produziram e produzem ainda, cada dia, frutos
de um sabor divino. Há canteiros esmaltados de belas e
variadas flores de virtudes, exalando aroma que perfuma os
próprios anjos. Há nele prados verdes de esperança, torres
inexpugnáveis de força, casas encantadoras de confiança etc.

A não ser o Espírito Santo, não há quem possa dar a conhecer
a verdade escondida sob estas imagens de coisas materiais.

Respira-se neste lugar o ar puro e incontaminado de pureza;
nele brilha o dia belo e sem mancha da santa humanidade;
irradia o Sol jucundo e sem sombras da Divindade; arde a
fornalha ardente e contínua da Caridade, em que todo ferro
que é lançado abrasa-se, transformando-se em ouro; nele há
um rio de humildade, que brota da Terra, e, dividindo-se em
quatro braços, banha este lugar encantado: são as quatro virtudes
cardeais (Gn 2, 8-10; n. 6).

262. O Espírito Santo, pela boca dos Santos Padres, também
chama a Santíssima Virgem de:

1º. A Porta Oriental, por onde o grande sacerdote Jesus
Cristo entra e sai do mundo (Ez 44, 2-3): Por Ela entrou a
primeira vez, por Ela virá a segunda vez;

2º. O Santuário da Divindade, o Repouso da Trindade
Santíssima, o Trono de Deus, a Cidade de Deus, o Altar de
Deus, o Templo de Deus, o Mundo de Deus. Todos estes diferentes
epítetos e louvores são muito verdadeiros, atendendo
às diversas maravilhas e graças que o Altíssimo operou em
Maria.

Oh! Que riquezas! Oh! Que glória! Oh! Que prazer!
Oh! Que felicidade poder entrar e permanecer em Maria, onde
o Altíssimo colocou o Trono da sua Glória Suprema!

263. Mas como é difícil a pecadores como nós obter permissão
e ter capacidade e luz para entrar neste lugar. Pois é
tão alto e tão santo que é guardado, não por um querubim,
como o antigo Paraíso Terrestre (Gn 3, 24), mas pelo próprio
Espírito Santo, que se tornou seu Senhor absoluto. Por isso
Ele diz a respeito de Maria: “Tu és um jardim fechado, ó
minha irmã e esposa, tu és um jardim fechado e uma fonte
selada” (Ct 4, 12). Maria está fechada e selada. Os miseráveis
filhos de Adão e Eva, expulsos do Paraíso Terrestre,
não podem entrar neste, senão por uma graça particular
do Espírito Santo, graça que devem merecer.

264. Quando, pela fidelidade, se obteve esta insigne graça,
é preciso permanecer no interior de Maria, todo cheio de beleza.
É preciso ficar lá com complacência, descansar em paz,
apoiar-se confiadamente, esconder-se com segurança e perder-se sem reservas. O resultado será que, neste seio virginal:

1º. A alma será nutrida pelo leite da sua graça e da sua
misericórdia maternal;

2º. Será libertada das suas perturbações, temores e escrúpulos;

3º. Estará em segurança contra todos os seus inimigos:
o demônio, o mundo e o pecado, que n'Ela jamais entraram.

Por isso Maria diz: “Os que em mim operam, não pecarão”
(Eclo 24, 30). Isto é, os que em espírito permanecem na
Santíssima Virgem não cometerão pecados consideráveis;

4º. Será formada em Jesus Cristo e Jesus Cristo nela,
Pois o seio de Maria é, como dizem os Santos Padres, a Sala
dos Sacramentos Divinos (n. 248), onde Jesus Cristo e todos
os eleitos foram formados: “Um homem e um homem nasceu
d'Ela” (Sl 86, 5; n. 32).

IV. Fazer tudo para Maria 

265. Devemos, finalmente, fazer todas as ações para Maria.

Pois, visto que nos entregamos totalmente ao seu serviço,
é justo que façamos tudo por Ela, como um criado, um servo,
um escravo. Não que a tomemos como fim último dos nossos
serviços, pois só Jesus Cristo o é. Mas tomamo-la como fim
próximo, como meio misterioso e fácil para ir a Ele.

Como bons servos e escravos, não devemos ficar ociosos,
mas é preciso que, apoiados na sua proteção, empreendamos
e realizemos grandes coisas para esta augusta Soberana.

É preciso defender os Seus privilégios, quando lhos disputam,
e sustentar a sua glória, quando a atacam. É preciso atrair
todo o mundo, se for possível, ao seu serviço, e a esta Verdadeira
e Sólida Devoção. É preciso falar e clamar contra os
que abusam da sua Devoção para ultrajar seu Filho, e, ao
mesmo tempo, estabelecer esta Verdadeira Devoção. É preciso
pretender apenas, como recompensa destes pequenos serviços,
a honra de pertencer a tão amável Princesa, a felicidade
de sermos por Ela unidos a Jesus, seu Filho, com um laço
indissolúvel, no tempo e na eternidade.